sábado, 17 de outubro de 2009

Devaneio Matinal

No outro dia, acordei como sempre às 8 da manhã para ir trabalhar e, como sempre, levantei-me, lavei a cara, mudei a água das azeitonas e fui pa cozinha tomar o meu pequeno-almoço. Como sempre, lá peguei no pacote de cereais e enchi a minha malguinha. Comecei a comer. Sentia-me observado pelo galo com cores esquisitas (onde raio o povo da Kellogg’s já viu um galo verde e a levantar um polegar???). Parecia que olhava pa mim de canto. Não gostei. Virei-o e deparei-me com a parte das informações nutricionais.


Comecei uma leitura superficial das vitaminas, e das percentagens, e da forma como todos estes elementos podiam contribuir para a minha felicidade e para o meu bem-estar. Mas, à dada altura, li algo que nunca tinha reparado: um número de telefone.


Este número é do Apoio ao Consumidor…


Eram cerca das 8h10 e comecei a fazer um filme em relação a isto. Sinceramente, para que raio serve este número? Será que há mesmo alguém do outro lado da linha? E se existir tal desgraçado, qual o papel dele?


Já estou a imaginar um cliente a ligar às 6 da manhã a perguntar como se abre o pacote, a perguntar se o papelão é reciclável, a quantidade de leite que tem de colocar na malga, se o leite deve ser quente ou frio, se em vez do leite pode pôr um iogurte (aromático ou não), o grau de estaladura dos cereais, o tempo limite para os cereais se tornarem moles etc.


Bem, como podem ver, eu divirto-me logo pela manhã…


Fui para o trabalho a pensar nisso e acima de tudo, a pensar no desgraçado que atende o telefone para “apoiar” o cliente. Das duas uma, ou o desgraçado passa seca todo o santo dia ou ele deve ouvir a estupidez humana no seu mais alto nível. Neste caso, já se pode tornar engraçado.


Fiquei curioso acerca disso e pensei ligar para lá mas tenho medo de parecer mal-educado porque a única pergunta que tenho para colocar não é acerca do produto mas sim acerca do trabalho do desgraçado que atende as chamadas. Só me apetece perguntar-lhe: “Então pah, és pago a fazer o quê ao certo?”


Um dia que volte da noite, todo mamado, em que a minha vergonha tiver desaparecido consoante bebia cerveja, em que cruzar a minha tia ir para a missa enquanto que o seu sobrinho vai para a cama, aí se calhar vou tentar ligar para lá. Só espero não me enganar no número. Era mau ligar para os Alcoólicos Anónimos…

0 comentários: