terça-feira, 20 de outubro de 2009

Undercover Boss

Há tempos, coloquei um post intitulado "Someone's Gotta Go !" que tratava de um novo reality show produzido pela Fox e que estaria brevemente no ar nos EUA.

A Europa, mostra-se bastante relutante em comprar os direitos de retransmissão deste jogo. Em França nenhum canal mostrou-se interessado alegando todos que o “Someone’s Gotta Go!” não está adequado ao mercado hexagonal.

Porém, a filial Francesa da Endemol (criadora de Big Brother etc.) decidiu comprar os direitos de difusão do jogo “Undercover Boss” que já foi lançado no Reino-Unido, pela Channel 4. Desta vez, não se trata de despedir mas antes de infiltrar.

O conceito é simples. Um patrão ou um alto responsável duma grande empresa é “contratado”, para o cargo menos elevado da sua própria empresa (com uma falsa identidade, of course), e vai ter de trabalhar e conviver dez dias com os restantes funcionários sem ser descoberto. Ao fim deste prazo, o participante a este jogo revela finalmente quem ele é e passa a sancionar (em bem como em mal) os seus empregados.

No Reino-Unido, por exemplo, um patrão estava a trabalhar na caixa de um dos seus hipermercados. Os empregados que ele achou merecedores tiveram direito a aumentos salariais, bónus, dias de férias a mais etc.

Supostamente, o objectivo deste programa é mostrar ao patrão as coisas que correm mal na empresa para que ela as possa corrigir.

Apesar deste objectivo ser muito nobre, temos de ser realistas. Não se faz um programa de televisão para permitir a um patrão de ver o que corre mal na empresa dele. Para isso, ele tem consultantes, um director de Recursos Humanos e mais uma cambada de empregados diplomados em não sei quantos cursos para o ajudar nesta tarefa. Na realidade, o que este programa quer é ver os empregados a cortar na casaca do patrão, do chefe, ou dos restantes colegas de trabalho. Neste sentido, acredito que haverá uma câmara junto à máquina de café que, na minha opinião, é o epicentro da cusquice em meio profissional.

O conceito é estúpido mas é mais um caso que exemplifica como a televisão se adapta às nossas vidas. Em tempo de crise económica, este programa chega à hora H e parece-me ser mais adequado às nossas mentalidades do que o “Someone’s Gotta Go!”.

Enfim, se a TVI se lembrar de comprar os direitos para o nosso país, gostava ver o Presidente da Galp atestar o depósito do meu carro…assim explicava-lhe pessoalmente o que é que eu tenho achado da sua política de preços!

0 comentários: