sábado, 14 de novembro de 2009

Fat Baby

Os Estados-Unidos encontram-se no meio de uma grande reforma do seu sistema de saúde e é neste contexto que ouvi falar do caso que descrevo a seguir.

É a história do Alex, um bebé feliz da vida, que nasceu sem qualquer complicação durante o parto e que está cheio de saúde. Como é normal, os pais quiseram juntar o recém-nascido ao seguro de saúde que eles já possuíam. E qual foi a resposta deste seguro? NÃO. E perguntam vocês porquê. A Rocky Mountain Health Plans respondeu que o Alex era demasiado gordo e que não se enquadrava nos critérios que eles estabeleceram para poder assegurar um bebé.

Basicamente, a Rocky Mountain Health Plans acha que o Alex é obeso e tem tudo para o ser ainda mais no futuro, logo têm medo das despesas que poderia trazer à companhia de seguros. Aí entramos na lógica clássica dos seguros americanos: se tens problemas de saúde, não queremos de ti mas se estiveres em perfeita saúde, só te queremos se não nos deres prejuízo no futuro, por isso nada de fazer desporto excessivo ou de cometer loucuras, do tipo saltar dois degraus nas escadas.

Bem, aqui segue uma foto do Alex e queria que fossem sinceros: não acham que este bebé tem um aspecto perfeitamente normal?





Claro que ele é gorduchinho mas, diabos (em tempo normal diria outra coisa), é um bebé!!! Caso a Rocky Mountain Health Plans nunca tenha visto um bebé obeso, aqui vai uma foto bem representativa. Comparem só um com o outro. Não notam uma ligeira diferença?
 



E não é por mal, mas o que é que nos garante que este bebé vai ser obeso? Sei lá, eu parto do princípio que a mãe lhe vai dar leite como acontece com qualquer outra criança, ou será que as mamas delas se chamam Ben and Jerry??? Também parto do princípio que os pais vão cuidar do filho, dando-lhe uma alimentação saudável. Acho que também poderão inscrevê-lo num desporto qualquer. Fogo, os pais parecem ser normais e não criadores de gado.

Enfim, isto tudo para dizer que estou muito feliz por não ter nascido nos Estados-Unidos e que já era mais do que tempo para eles revolucionarem (o verbo é brando) totalmente o sistema de saúde. Abençoado Portugal…

0 comentários: