terça-feira, 3 de novembro de 2009

Ser Português

Em França, existe um ministério cujo nome é bastante polémico. Trata-se do "Ministério da Imigração, da Integração, da Identidade Nacional e do Desenvolvimento Solidário". Nome extenso e complexo, não é?

Foi criado pelo Presidente Sarkozy e recentemente, colocou uma pergunta ao povo Francês, ou melhor, propôs fazer um debate acerca de um tema politicamente sensível naquele país. Este tema é o da identidade nacional (http://www.debatidentitenationale.fr/). A questão colocada neste site é simples: "O que é ser Francês?" Pergunta interessante, não acham?

Será que ser Francês limita-se ao facto de ter nascido naquele território? Será que ser Francês implica ter vivido determinado tempo em França? Será que para sermos considerados Franceses, devemos ter estudado em França? Será que os nossos pais têm de ser Franceses? Será que é saber falar a língua? Será que é pagar os impostos? Será que é poder usufruir do direito de voto? Será que é conhecer o hino nacional? Será que é conhecer os símbolos da República?...

Como vêm, poderíamos passar horas e horas a fazer este tipo de perguntas. E talvez ser Francês seja isso, mas pergunto-me também se ser Francês não é algo mais profundo, mais pessoal e íntimo?

O Presidente Sarkozy disse uma frase que achei brilhante. Dizia o seguinte "Etre Français, ça se mérite" (Ser Francês é algo que se merece). Logo, por esta frase, entendo e concordo que ser Francês não é algo adquirido, é algo que se constrói... Como?

Também chegou a dizer outra frase que gostei: "La France, tu l'aimes ou tu la quittes" (Se não amas a França, deixa-a). Assim, interpreto esta frase como sendo um sinal forte para aqueles que se dizem Franceses mas que não respeitam as diferentes instituições. Com que critérios?

A nível pessoal, a verdade é que não sei até que ponto me considero Francês. Embora tenha nascido, estudado, ter seguido as regras daquele país, e por me ter sido dada a nacionalidade Francesa, acho que me falta algo. Para mim, a França é um território muito vasto que desconheço por completo. Sinto-me mais Parisiense do que Francês e, se Paris fosse um país, então neste caso sentir-me-ia Parisiense, sem qualquer sombra de dúvida. Talvez esteja enganado e talvez me deveria considerar Francês de pleno direito, mas achar-me-ia (mais) Francês se tivesse conhecido aquele país, para além do que pude estudar em livros, ou visto na televisão ou na Internet.

Por mais estranho que pareça, sinto-me mais Português... Sinto que pertenço a este país, a uma cultura com a qual me identifico mais, uma cultura mais próxima das pessoas, uma cultura repleta de tradições. Mas a minha relação com Portugal contrasta muito com a relação que tive com a França, pois para mim Portugal não se resume a Lisboa, mas abrange aspectos como a língua na sua diversidade de sotaques, às festas tradicionais, às romarias, a cidades que visitei, a pessoas que conheci e que vinham de diversas regiões.

A verdade é que esta questão levantada pelo governo Francês é polémica e muitas pessoas receiam ver e ouvir opiniões xenófobas. Porém, a nível da nossa pequena blogosfera, queria fazer-vos a seguinte pergunta: o que é, para vocês, ser Português?

2 comentários:

Sara disse...

ser português é comer papas com sarrabulho e andar a tarde toda a arrotar aos cominhos =) lol
Para mim ser português acima de tudo é saber fazer parte desta cultura que nos caracteriza. saber aceitar as diferenças entre todos nós e reconhecer que somos felizes neste "taco" na cauda da Europa. é saber fazer parte de todo o que nos une como portugueses, seja em que área for. por muito pequenos que possamos ser achamos sempre que somos os maiores. esse é o espírito de ser português. e claro fazer como aqueles senhores que dizemos que são o típico português, não se chateiam , na gostam de trabalhar têm bigode e estão a tarde toda a comer amendoins tremoços e a beber uma bejecas num café qualquer a discutir o sexo do anjos =)

és o maior padrinho =)
Sara AKA bagação =)

Cristóvão disse...

Na minha opinião, ser Português é algo tão complicado que poderia ser o objecto de estudo de uma tese de Doutoramento. Mas resumindo o meu pensamento, acho que ser Português começa por definirmos o que todos os habitantes têm em comum. Ou seja, uma língua, uma História, uma cultura etc. Mas para mim, também acho que é como diz a Sara, uma questão de orgulho. O orgulho de não sermos mais uma província espanhola, mas sim um país que embora pequeno, é capaz de realizar proezas quando todos trabalham juntos.