quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Hambúrguer Halal

Em França, existem o Mc Donald's e o Quick, dois fast-food que lutam de forma feroz para conquistar o mercado nacional. No âmbito desta luta, a segunda empresa teve uma iniciativa muito polémica que tem a ver com o facto de 8 dos seus 350 restaurantes venderem, desde o dia 30 de Novembro, exclusivamente hambúrgueres feitos com carne halal. Ou seja, produtos que se dirigem para uma população especifica: os muçulmanos.
Em termos de sabor, não existe diferença nenhuma, pois o bovino é alimentado da mesma forma, mas é simplesmente abatido por um profissional muçulmano, com a cabeça virada para a Meca. Por sua vez, as sandes que eram compostas por bacon viram a carne do porco ser substituída por peru fumado.

Até à data do 30 de Novembro de 2009, já havia fast-foods independentes que propunham este tipo de produtos, situando-se geralmente em bairros com uma forte concentração de habitantes pertencendo à comunidade muçulmana. O mesmo acontecia com a comunidade judia. Porém, nunca uma grande cadeia deste tipo de restaurantes tinha dado este passo, o que leva a empresa a ser fortemente criticada e alvo de grande polémica naquele país.

O ponto essencial da polémica prende-se ao facto dos fast-foods venderem apenas produtos halal. A empresa Quick defende-se argumentando que este aspecto é decisivo para obter resultados significantes nesta experiência. Contudo, a classe politica, desde a extrema esquerda até à extrema direita, apoderou-se do assunto para veicular as suas ideias. Assim a extrema direita, pela voz da filha do Jean-Marie Le Pen, fala de experiência inadmissível, pois não respeita a liberdade dos outros consumidores e vai mais longe ao apontar para uma "islamização" da França. Os outros partidos (PS e UMP) preferem falar de uma medida "comunitarista" e de "discriminação".

Raro são as vezes em que a classe politica concorda de forma unânime e achei este facto curioso. Porém, e não querendo "desculpar" a empresa Quick, convinha salientar que o mercado da alimentação halal em França foi recentemente avaliado em cerca de 4 mil milhões de euros. Por isso, e embora perceba a classe politica, até entendo a experiência desta empresa.

0 comentários: