sexta-feira, 21 de maio de 2010

Aos Meus Amigos Peões...


Este post é dedicado a todos que, como eu, ficam exasperados com determinados comportamentos que vou aqui descrever.
Será que sou o único a passar-se com alguns comportamentos que poluem as nossas estradas e ruas? Será que sou o único a passar-se com o comportamento dos nossos amigos peões? Não me parece que seja necessário mas, em caso de dúvida, vou descrever algumas dessas atitudes...
O primeiro comportamento tem a ver com aqueles energúmenos que têm o maior prazer em dar a língua junto a uma passagem para peões, dando a sensação que vão atravessar e que obrigam o condutor a parar de forma brusca, correndo assim o risco de provocar um acidente.
Acho que todos nos passámos um dia por esta situação... Algo que é estranho é que estas pessoas estão muitas vezes coladas a um poste de iluminação pública. Nunca repararam? Parece que precisam de algo onde se agarrar ou encostar, tal como os cães precisam de um poste para levantar a pata e aliviar a bexiga.
O segundo comportamento, e talvez aquele que me irrita mais, também tem a ver com as passagens para peões. Nunca vos aconteceu estar a conduzir e, a dada altura, surgir uma pessoa que quer atravessar a rua no local apropriado e, como bons condutores, como pessoas com civismo e educação, paramos para deixar passá-la. Não é que o peão faz um sinal com a mão para nos mandar seguir!
Isto admite-se!? Claro que não.... Meus caros amigos, tentem pensar comigo: vocês estão no sítio certo para atravessar, um carro pára para vos deixar passar, a mínima cortesia seria atravessar a rua, não? Quer dizer, se um condutor não passa "ai, ai, ai que os condutores portugueses são uns filhos das p****", mas quando param "ai meu Deus, que simpatia, até vou deixá-lo seguir em frente". Meus caros, se nos querem deixar passar, avisem-nos ao longe, assim até engatamos a velocidade superior em vez de travar. Sei que não é por mal mas, a sério, quando paramos para vos deixar passar: atravessem!
Terceiro e último comportamento que me irrita e que também já aconteceu a todos... Este tem a ver mais uma vez, e de forma genérica, com as passagens para peões. Sabem quando estamos parados num semáforo, que este está quase quase quase a passar no verde e que um kamikaze decide passar...devagarinho...a arrastar os pés...olhando nos olhos de todos os condutores parados na primeira fila...com aquele olhar que diz "tou-me a cag** pa vocês"... Não vos dá uma vontade terrível de passar por cima?
Isto ainda se tolera quando é uma senhora com alguma idade, carregada com sacos de compras que, por não querer perder o lance, decide arriscar... Mas o pior vem mesmo dos jovens que têm cada vez mais a mania que são os maiores... Três bofetadas naquele focinho pah!!!!
Agora sugiro eu: que tal criar o "Dia Mundial do Carmageddon" no qual poderíamos passar por cima desta malta toda e ganhar pontos???? Quem cria um grupo no FaceBook a sugerir isso????

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Às Vezes, Mais Valia Estar Calado...Ou Não

Abdeslam Ouaddou (footballeur) : "Il ne faut pas brûler la peau de l'ours avant de l'avoir vendue."

Terry Butcher (footballeur anglais) : "La beauté de la Cup, c'est que Jack a toujours une chance de battre Goliath."

Jean Perron (entraîneur canadien de hockey) : "C'est la goutte d'eau qui a mis le feu aux poudres."

Mark Viduka (footballeur asutralien) : "Ça m'est égal de perdre tous les matchs si à la fin de la saison on est champions"

Gary Lineker (footballeur anglais) : "Il n'y a pas de milieu. Ou tu es mauvais ou tu es bon. Nous on a été moyens"

Franz Beckenbauer (footballeur allemand) : "Il n'y a qu'une seule possibilité : gagner, perdre ou faire match nul".

Ronaldo (footballeur brésilien) : "On a perdu parce qu'on n'a pas gagné"

Franck Lobos (footballeur chilien) : "Je suis très ému d'aller aux Etats-Unis, ce n'est pas tous les jours qu'on peut aller en Europe"

Mark Draper (footballeur anglais) : "J'aimerais bien jouer dans un club italien. Comme le FC Barcelone par exemple."

Gary Linecker (footballeur anglais) : "Si un spectateur vous crache dessus, il faut l'avaler"

Emmanuel Petit (footballeur français) : "J'adore l'Angleterre. Entre autres parce que les Anglaises ont des gros seins"

Bernard Thévenet (consultant cyclisme) : "Ce sont des routes assez sinueuses : il y a beaucoup de lignes droites"

Lucciano Moggi (directeur italien de la Juventus) : "Jamais je n'embaucherai un joueur avec un nom comme Kakà. Avec un tel patronyme, il doit jouer comme une merde"

Shaquille O Neal (basketteur américain), après qu'un journaliste lui a demandé s'il était allé au Parthénon lors de son séjour en Grèce : "Comment voulez-vous que je me souvienne du nom de toutes les boîtes de nuit dans lesquelles je suis allé..."

Steve Lomas (footballeur nord-irlandais) : "L'Allemagne est une équipe très difficile à jouer. Elle joue toujours avec 11 internationaux"

Greg Norman (golfeur australien) : "Je dois beaucoup à mes parents, surtout à mon père et à ma mère."

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Enterro da Gata 2010

Sábado, 8 de Maio: David Fonseca
Mais um Enterro da Gata que começou muito bem... Por uma vez, a tarefa de abrir as hostilidades não coube ao Pedro Abrunhosa mas sim ao genial David Fonseca. Mais uma actuação imaginativa, cheia de energia e que confirmou algo que já afirmei aqui: trata-se de um dos melhores artistas portugueses da actualidade.
A chuva era desnecessária mas, pelos vistos, será o prato nosso de cada dia... Haja paciência, boa disposição e boa companhia. Neste aspecto, no que me diz respeito, foi excelente :-)

Domingo, 9 de Maio: Daniela Mercury
Por não ser fã de música brasileira, decidi chegar mais tarde ao recinto junto com colegas de Licenciatura... Era 1h30 mas bem podia ter chegado pelas 4h30, pois foi mais ou menos a esta hora que a Daniela Mercury acabou de actuar. O público estava em delírio perante aquela artista que tem uma energia contagiante (pelo menos isso) e que surpreendeu toda a gente ao cantar os Contentores dos Xutos e Pontapés (com sotaque brasileiro, vale a pena ouvir lol).
De resto, por estar perfeitamente sóbrio, ganhei uma Pen de 2Gb quando soprei no balão na barraca da PSP :-) e foi também a ocasião de voltar a rever a canalha (meus caloiros) e os seus rebentos (caloiros netos lol). 

Segunda-feira, 10 de Maio: Expensive Soul
Não sou bom em classificar tipos de música e os Expensive Soul são para mim um verdadeiro mistério, tão o estilo deles é original. De qualquer forma, trata-se de uma boa mistura que trouxe alegria ao público presente que, naquela noite, não saiu molhado do recinto.
De resto, deu pra ver que o badalhoco do P continua na mesma (oh pah, urinar no insuflável foi muito mau) e que os netos estão bem lançados pra festejar esta semana em grande. Nem imagino logo...

Terça-feira, 11 de Maio: Buraka Som Sistema
A noite de ontem poderia ser rotulada de "Old School", pois deu para conviver com pessoas da geração da antiga licenciatura e, mais particularmente, com o Neil, o Tchaves e o Nando. Noite muito agradável que permitiu recordar velhos tempos. Duvido que o Neil se lembre de tudo (tavas como um catcho pah lol) mas creio que ele vai se lembrar de termos entoado canções no autocarro à gloria do Grupo Desportivo de Chaves :-)
Para além disso e ao fim de 7 anos, deu finalmente para ver que uma rapariga conseguiu cativar o N... Como te invejo :p

Quarta-feira, 12 de Maio: Quim Barreiros
Venha quem vier, este Senhor é o maior festeiro que anda pelo nosso país. Os anos passam por ele como se nada fosse. Cheguei a comentar que quando este Senhor falecesse, haveria um minuto de silêncio por ele todos os anos nas Quinta-feiras do Enterro da Gata, tão o Quim Barreiros é mítico.
Numa noite sem chuva, deu para estar com a canalha e os netos que estavam muito cansados após um dia a preparar o cortejo académico. Acabou! Agora é gozar a vida e preparar o 3º ano que será ainda mais cansativo mas tão bom :-) 

Quinta-feira, 13 de Maio: Emir Kusturica & The No Smoking Orchestra
Desconhecia por completo este artista e a sua banda mas a verdade é que eu devia ser provavelmente o único... O público presente no Gatódromo delirou com o cantor que parecia um Schtroumpf (estrumpfe, em Português), ou um "super herói" do Kick-Ass, com a ferramenta ao dependuro. Enfim, uma noite fria que permitiu preparar a recta final de logo à noite com os Xutos :-)


Sexta-feira, 14 de Maio: Xutos e Pontapés
Mais um grande concerto desta banda mítica que cantou os seus principais sucessos. Como sempre, uma grande enchente para o último dia do Enterro da Gata que permitiu a alguns irredutíveis alunos do meu Mestrado desfrutar de um excelente momento de convívio. 
Antes disso, ainda fomos jantar ao Pata Negra (recomenda-se) onde se falou das próximas actividades de diversão. Não percam o próximo episódio...


E agora que a festa acabou, vamos voltar à rotina habitual :-( Mas pronto, esta semana deu para arejar a mente, relaxar, ter certezas e dúvidas ao mesmo tempo. É mesmo a semana em que tudo pode acontecer...

sábado, 1 de maio de 2010

Artista do Mês: Queen

No outro dia, li uma entrevista dos Scorpions na qual o líder da banda comentava que hoje em dia, à excepção dos U2, já não existia uma banda Rock capaz de encher estádios. Pensei na questão e, realmente, tinha parcialmente razão, pois acho que os Bon Jovi são capazes disso, tal como os Rolling Stones, os AC/DC ou os Metallica... A verdade é que a moda de encher estádios de futebol para um concerto é um exercício que associo mais à década de 80, com bandas míticas das quais podemos destacar uma que é, na minha perspectiva, uma das melhores bandas de todos os tempos: os Queen.

 

Queen, para quem não conhecer (será que pessoas dessas existem?) é uma banda que foi criada em 1970, em Londres, e que era composta por Brian May, Roger Taylor, John Deacon e Freddie Mercury. No total, e embora não exista dados fiáveis sobre esta questão, fala-se que venderam até 300 milhões de álbuns.

Em 2007, um inquérito de opinião encomendado pela BBC Two revelou que os Queen eram a "melhor banda britânica de todos os tempos", deixando os Beatles e os Rolling Stones para trás o que mostra o carinho que o público tem ainda por Brian May e companhia, apesar do falecimento do líder, o carismático Freddie Mercury.

Curiosidade… Foi o próprio Freddie Mercury que deu a ideia do nome, por se tratar de um nome curto, fácil de memorizar, irreverente, pois queen significa "rainha" mas também "homossexual", em calão britânico. Foi também ele, como titular de um diploma em ilustração e criação gráfica na Ealing Art College de Londres, que criou o emblema da banda, conhecido em Inglês por "Queen Crest".

 
O logótipo foi estreado aquando o lançamento do primeiro álbum e representa os signos astrológicos dos elementos da banda (dois leões para Deacon e Taylor, um caranguejo para May e duas virgens para Mercury). No meio, encontramos a letra Q em maiúscula, num formato trabalhado, com uma coroa inserida dentro, e por baixo de uma Fénix majestosa. Este logótipo poderá ser visto na maioria dos concertos, pois encontrava-se desenhado na bateria.

E já agora, falando de concertos... Que tal falarmos um pouco da Magic Tour, uma digressão fenomenal que acabou em Londres, em Wembley, onde a banda actuou duas noites seguidas. Para quem tiver os CDs/DVDs, acho que todos concordam em dizer que foi um grande concerto. Porém e apesar dessas duas datas, ainda havia muita gente que não tinha um bilhete e que queria ver a banda ao vivo (onde já vi isso… ah sim, para os U2 em Coimbra). Como não dava para reservar o estádio para mais uma noite, os Queen realizaram então um concerto no Parque Knebworth e venderam, em apenas duas horas, a pequena quantia de 125 000 ingressos. Este será o último concerto da banda ainda composta pelos membros originais. No total, calcula-se que cerca de 1 milhão de pessoas assistiram a esta digressão (400 000 só no Reino-Unido).

Depois do falecimento do líder da banda, falou-se em substituir o cantor, nomeadamente por George Michael mas aparecia óbvio que nada seria como dantes e, de certo tinham razão.

Tal como a Fénix que renasce das suas cinzas, os Queen continuaram a ter sucesso depois do desaparecimento do Freddie Mercury, começando em 1992 com a estreia do filme Wayne’s World no qual podemos ouvir o famoso Bohemian Rhapsody. Depois disso, haverá mais um álbum (Made in Heaven) e uma série de colectâneas que materializam o lema descrito por Mercury numa das últimas canções escritas pela banda e que eu gosto muito: The Show Must Go On!



Como sempre, poderão ver alguns vídeos aqui ao lado...