terça-feira, 1 de junho de 2010

Artista do Mês: Michel Sardou

Nem todos concordarão comigo mas acho que parte dos nossos gostos musicais é determinada pela música que ouvimos quando somos crianças. Da mesma forma que um filho opta geralmente por apoiar o clube de futebol do pai, acho que o mesmo se verifica com os nosso gostos musicais. Assim, quando eu ainda era petiz, não imaginem os meus pais a cantar canções dos Iron Maiden ou dos Led Zep... Nada disso, para além de canções tradicionais Portuguesas, a minha mãe costumava ouvir um dos maiores cantores Franceses: Michel Sardou.
 
Partindo do princípio que nenhum dos leitores deste blog conhece este artista, acho que uma pequena biografia impõe-se. Assim, Michel Sardou nasceu em Paris em 1947 e, desde cedo, esteve envolvido no mundo dos espectáculos. Como os estudos não lhe corriam nada bem, optou investir na sua paixão: a canção. A verdade é que, ao início (por volta de 1965), o sucesso não bateu à porta sendo que um director de uma editora chegou a declarar, na altura, que ele "não era feito para a canção" (o mais certo é este desgraçado ter-se dado um tiro depois). Conhecido pelas suas canções polémicas (um das delas foi censurada pelo Presidente Charles de Gaulle), nenhuma editora mostrar-se-á interessada em fazer-lhe assinar um contrato. Perante esta situação e com a ajuda de dois amigos, decidiu criar a sua própria editora (Tréma).
 
A partir de 1970, observa-se a eclosão de um cantor que será rotulado de "cantor popular" mas cujos textos serão duramente criticados pela imprensa e até censurados pelas rádios, por causa de tomadas de posições ou de temas politicamente controversos (colonialismo, homossexualidade, guerra, feminismo, pena de morte, etc.). Isto valeu-lhe ser alvo de um atentado à bomba em Bruxelas, em 1977. Tendo em conta este contexto, os álbuns seguintes serão muito mais softs e deixarão lugar a canções românticas e de introspecção que lhe permitiram passar a década de 80 de forma muito pacífica e culminando no Top 50. Os anos 90 e o início dos anos 2000 serão bastante calmos em termos musicais, sendo que o cantor iniciou uma carreira de actor e decidiu comprar um teatro em Paris (Théâtre de la Porte Saint-Martin). Contudo, este afastamento não fez com o que o público se esquecesse dele e cada novo álbum é, por norma, um sucesso garantido.
 
Para além dos álbuns cada vez mais vendidos, os seus concertos encontram-se sempre esgotados e o cantor mal-amado, alvo de críticas, tornou-se num dos artistas preferidos dos Franceses. Isto fará com que ele receba vários prémios... Ao todo, em termos quantitativos, a carreira de Michel Sardou resume-se a 23 álbuns, mais de 300 canções e cerca de 120 milhões de discos vendidos.
 
Das canções mais famosas, destacarei aqui algumas que gosto e que poderão ver nos vídeos aqui ao lado. Como sempre, optei por seleccionar gravações ao vivo porque acho que é nesses casos que se reconhecem os verdadeiros artistas.

Espero que gostem...

4 comentários:

maria aranha disse...

Conheço o michel sardou desde os meus 15 anos. Tenho 50 e continuo a gostar dele. A minha preferida é la maladie dàmour

Cristóvão disse...

A Maladie d'Amour é o cartão de visita do cantor :-) Confesso que num repertório tão vasto como o do Michel Sardou, tenho dificuldades em escolher apenas uma música...

Eduardo Pires disse...

Tal como você minha admiração por Michel Sardou começou pelas audições constantes de minha mãe. Aqui do Brasil ainda mantenho minha admiração por este artista francês. Amo 'Une fille aux yeux clairs' e 'La Maladie d'Amour'....

Cristóvão disse...

Belas canções Eduardo ;-)