quinta-feira, 7 de outubro de 2010

MEIE On Tour - Gran Canária (Oct. 2010)

Tudo começou assim:
- Olha, sabes uma coisa que seria altamente?
- Diz lá…
- Fazermos uma viagem de grupo, tipo uma viagem de finalistas com o pessoal do Mestrado.
- Tas tolo…

Alguns meses depois, o MEIE caminhou contra ventos e marés para pregar a palavra santa em terras espanholas, mais precisamente em Gran Canária.

A estadia por aquelas bandas poderia certamente ser alvo de um relatório extenso mas, para não sermos perseguidos pelas autoridades e os nossos familiares, ficarão apenas umas notas soltas que, mais tarde, serão complementadas por algumas fotos.

Assim, fiquem a saber que as praias são boas, que a água por aqueles lados é mais amena que as que temos por aqui; que todos os hotéis incluem pelo menos uma piscina; que as temperaturas são muito agradáveis e, não menos importante, a vida nocturna é intensa.

Em termos de preços, poderão encontrar soluções muito económicas se viajarem em época baixa, tanto na viagem (viva a Ryanair!) como na estadia, pois existe uma grande oferta de apartamento hotéis. De resto, alugar um carro é uma óptima solução para visitar a ilha, principalmente quando se sabe o preço do litro de gasóleo (0,74 euros).

A outra característica da ilha se situa nos preços de determinados bens de consumo. Assim sendo, para os fumadores, contem pagar 18 euros por um volume de Camel (as outras marcas mais comuns andam por aí). Existem também várias lojas onde poderão comprar perfumes baratos. Em caso de dúvida, comprem no aeroporto onde os preços são 40% mais baixos.

Por fim, no que diz respeito à alimentação, a oferta é diversificada e podem contar com um orçamento de 20 euros por pessoa e por refeição. Este preço inclui pratos de qualidade (paella, rodízio de carne, costeletão, etc.) acompanhados por vinho e outras bebidas alcoólicas.

No final de uma refeição bem carregada, poderão ainda beneficiar de um serviço curioso disponível na zona onde ficámos hospedados (Playa del Inglés): pesar-se. Sem exagero, existiam balanças nas ruas que estavam colocadas de 20 em 20 metros, todas elas presas por um cadeado. Ainda hoje não percebi o porquê. Caso alguém descubra, é favor iluminar-me…

Concluindo, creio que todos os participantes serão unânimes em dizer que foram umas férias muito bem passadas, que nos proporcionaram um excelente momento, ao permitir criar e/ou fortalecer laços entre os elementos do grupo. Já se falou na possibilidade de repetirmos a iniciativa. Estou disposto a ouvir ideias de destinos…

Abraço

0 comentários: