quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Aeroportos

Acabo de regressar de Paris e a pequena viagem que realizei fez-me pensar em pormenores relativos aos aeroportos que queria aqui partilhar.

Por exemplo, já repararam que fazemos o check-in de todas as nossas malas ao mesmo tempo, ou seja, a nossa bagagem vai toda juntinha para o avião. Porém, nunca aparecem juntas no aeroporto do destino. Porquê? Será que há um homenzinho escondido no porão dos aviões pago para misturar as malas, só para nos chatear? Será que é esta a profissão de eleição dos anões?


É que isto das malas estarem separadas cria uma situação fascinante nos aeroportos de destino. Quem nunca presenciou aquelas jogadas estratégicas que fazem os casais em frente ao tapete que passeia as malas pelo terminal? Eu já vi ene delas... É sempre o mesmo filme: a mulher vai junto à saída das malas e, mal vê o seu bem mais precioso, vira-se para o marido fazendo grandes gestos e, como as malas nunca vêm juntas, a vergonha repete-se várias vezes. E apesar disso tudo, no fim, há sempre uma mala que sobra e que passeia sozinha no tapete. Ninguém a quer, nem mesmo os empregados do aeroporto encarregues dos perdidos e achados. Estranho...

Ainda em relação às malas, fico sempre intrigado por ver algo que acho sobrenatural . Refiro-me às lojas que vendem malas nos aeroportos e que estão sempre desertas (porque será?). E o mais estranho é que isto não é uma excepção cultural portuguesa. Nunca repararam nisso? Será que existem realmente pessoas que chegam ao aeroporto com uma carrada de roupa nos braços, máquina de barbear na boca e escova de dentes ao dependuro numa orelha? Até gostava ver... Não digo que nunca vá acontecer mas seria algo extremamente raro e, se tal acontecesse, não seria melhor colocar estas lojas nas zonas abertas ao público em geral em vez de as encontrar apenas na zona reservada aos passageiros? Isto sou só eu a pensar alto...

A verdade é que, hoje em dia, se repararmos bem, viajar de avião tornou-se numa coisa absolutamente louca. São as hospedeiras que vendem raspadinhas ou cigarros que não fazem fumo, são os pilotos que dão informações super interessantes como, por exemplo, a temperatura exterior… Who cares?

Mas mais louco que isto tudo, só mesmo as condições de segurança. Toca a tirar os sapatos, a roupa, os olhos, os dentes, o cabelo… Tudo! Já ninguém fica surpreendido por ver alguém despir-se ou ser apalpado por todos os lados quando estamos na zona dos pórticos. Por vezes, também confesso que sabe bem (ai Praga...) mas adiante. Aliás, nos últimos tempos, a maior ameaça terrorista nos aeroportos têm sido as garrafas de água que somos obrigados a beber ou a deitar pró lixo antes de entrar no avião. Fogo, quando se sabe quanto custa uma garrafinha de água num aeroporto, é frustrante. O viajante deveria poder saboreá-la… 

Enfim, era só um devaneio...

0 comentários: