sábado, 4 de junho de 2011

Hamza Ali Al-Khateeb

Hamza Ali Al-Khateeb, o jovem rapaz de 13 anos, torturado e assassinado pelo regime Sírio tornou-se em poucos dias o símbolo da revolta do povo contra Bashar Al-Assad. Porém, não nos podemos esquecer que o caso desta criança não foi um caso isolado, pois segundo a Unicef pelo menos 30 crianças morreram por causa da repressão cada vez mais sanguinária exercida naquele país.

Mas voltemos ao caso do jovem Hamza Ali Al-Khateeb, que foi preso no dia 21 de Abril durante uma manifestação contra o regime de Bashar Al-Assad e cujo corpo foi devolvido aos pais no 25 de Maio. Neste post, gostava salientar dois aspectos que acho extremamente importantes.


O primeiro é que este acto de barbaridade não foi o resultado de uma sucessão de erros ou de acções descontroladas por parte das autoridades. Antes pelo contrário, trata-se de um acto reflectido e até mesmo premeditado. Em consequência, é essencial entender que existe uma vontade forte por parte do regime de aterrorizar a população.

O segundo aspecto tem a ver connosco, países ocidentais e os nossos dirigentes que gostam mostrar ao mundo que são moralmente e eticamente impecáveis. Ora, não consigo esquecer-me que o Presidente Sarkozy recebeu Bashar Al-Assad nas cerimónias do 14 de Julho e em Dezembro do ano 2008 no âmbito de visitas oficiais. Da mesma forma, não posso apagar a imagem do Coronel Kadhafi quando este foi recebido pelo mesmo Presidente, em Paris, em 2007.

Mais do que a questão do comportamento dos políticos ocidentais, gostava também informar as pessoas que, durante a visita de Bashar Al-Assad a Paris, os media saudaram a modernidade do político e o seu gosto pela cultura. Caros amigos jornalistas, não é por um monstro gostar de Arte que ele deixa de ser um monstro capaz de torturar e assassinar crianças.

As pessoas como Bashar Al-Assad são seres desprezíveis e as supostas nações civilizadas nunca deveriam, devem ou deverão recebê-las, nem fazer negócios com elas, colocando deliberadamente a moral de lado e fechando os olhos sobre uma terrível realidade.

إن شاء الله

0 comentários: