sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Mademoiselle



Como já muitos devem saber, ou deram provavelmente conta, nutro uma grande paixão pela língua e pela cultura francesa. Gosto, nomeadamente, da sonoridade e origem das palavras. Isto também é verdade no caso da língua portuguesa. Aliás, em breve, dedicarei uma crónica especialmente relacionada com este tema. Mas, voltando à questão da língua francesa, decidi falar hoje de um artigo publicado pelo jornal Le Parisien que trata da polémica inerente à palavra “mademoiselle”.

Para quem não está muito familiarizado com a língua de Molière, é conveniente sublinhar aqui a diferença entre “madame” e “mademoiselle”. Assim, enquanto no primeiro termo, a mulher encontra-se casada, o segundo identifica uma mulher solteira. Por sua vez, em termos de uso, é importante salientar que a palavra “mademoiselle” não tem, à partida, qualquer conotação negativa.

Porém, e apesar disso, um conjunto de mulheres decidiu criar um grupo para erradicar esta palavra do dicionário. Na opinião delas, o facto de existir uma caixinha dizendo “mademoiselle” nos formulários da administração pública é algo que se tornou inaceitável. Argumentam esta posição ao afirmar, e com razão, que esta distinção é apenas válida para as mulheres. De facto, hoje em dia, não existe na língua francesa, um equivalente ao termo “mademoiselle” para os homens. Em consequência, acreditam que se trata de uma intrusão nas suas vidas privadas bem como um factor disciminatório.

Legalmente, em França, não existe nenhum dispositivo que imponha o uso deste título. E, segundo o mesmo artigo, este aspecto não se observa nos nossos vizinhos europeus. Assim, os termos “Miss”, “Fräulein” ou “Señorita” são apenas formas de tratamento e não identificadores sociais. Por sua vez, no Québec, o mesmo termo é considerado como um insulto. Variantes...

Na génese desta questão, parece-me que urge a necessidade de aplicar medidas que promovam a igualdade entre ambos os sexos. Porém, e atendendo ao facto de que “mademoiselle” não é uma obrigação legal, não entendo muito bem o porquê desta polémica. De facto, ninguém proíbe colocar uma cruz no sítio que diz “madame”. Ou estarei eu errado?

Porém, agradecia que não eliminassem esta palavra do dicionário porque, sinceramente, acho-a linda. Longe de ser um insulto, eu acho que se trata de uma palavra sedutora e agradável de se ouvir. Aliás, quantas e quantas vezes, muitas mulheres corrigiram-me quando as tratei por “madame” e pediram-me energicamente para as tratar por “mademoiselle”. Por algum motivo será…

0 comentários: