sábado, 11 de fevereiro de 2012

Bom dia Novo Eu

Não gosto de clichés mas hoje, vou começar este post por um. Na vida, existem dois tipos de pessoas: Há aquelas que, tais ruminantes na beira da estrada, observam os carros a passar e, por outro lado, há aquelas que passam naquela estrada a alta velocidade, levantando paralelo e deixando uma nuvem espessa de pó pelo ar. E, provavelmente, muita coisa se resuma a isso: viver a nossa vida intensamente ou viver a vida dos outros.

Há alguns meses atrás, tive a oportunidade de conhecer a equipa do Miguel Gonçalves numa sessão de apresentação do projecto So Yout Think You Can Pitch. Achei o conceito original e, acima de tudo, gostei do discurso positivo e cheio de energia daquela malta. Após esta sessão, voltei a vê-los no âmbito de uma nova edição deste projecto quando participei ao casting. Deu para conhecer melhor o que anima a equipa da Spark, perceber que as ideias que eles tentam veicular têm grande potencial nas nossas vidas profissionais, desde que sejam tratadas com o devido respeito e consideração que devemos a nós próprios. Pouco tempo depois, o Miguel tornou-se famoso ao participar no Prós e Contras e, com esta fama, nasceram vários novos projectos. Foi neste contexto que participei no Activa-te…

Quando cheguei ao Factory, conheci malta de horizontes e áreas diversas e, logo no início, realizámos uma mesa redonda para perceber o que nos levou a inscrever-nos naquele projecto. A minha resposta foi clara: “Levar um biqueiro no cu”. Sinceramente, não desejava mais nada dali, simplesmente sair daqueles dois dias e pensar: “Carago, tenho tudo para ser bem sucedido, bora lá bater punho, comer broa, partir pedra e sentir os tomates a tremer!”. Basicamente, queria deixar de ser o ruminante que está na beira da estrada, saltar por cima da barreira e ir pró meio da estrada com os outros.

Desde então, por causa de uma agenda preenchida, nomeadamente por causa da redacção da minha tese de Mestrado, não deu para pôr em prática aquilo que me foi transmitido naquele fim-de-semana, nem mesmo para participar activamente nas conversas com o resto da malta no Facebook. Poderão pensar que são desculpas. É provável, mas prefiro dedicar-me a 100% nesta causa e investir-me como deve ser do que andar a meio gás.

Mas isto vai mudar em breve, pois a partir de hoje vou procurar o meu novo desafio profissional. Vou focar, vou andar à procura de gatos pretos e correr atrás de gazelas, vou me deliciar em ouvir as pessoas dizerem “não” quando as solicitar até que uma (ou várias) me digam “sim”. Porque sei o que sou, sei o que valo, só os outros é que ainda não o sabem…

E, para concluir, deixo aqui esta frase fantástica que roubei à Sara: If you want to achieve greatness stop asking for permission!

1 comentários:

Alice disse...

Bora lá, Cris. P'ra frente é que é o caminho. Só o facto de teres essa força de vontade, será sem dúvida uma grande vantagem! Boa sorte :P
Ainda tenho de falar contigo. Logo mando-te um mail.
Beijo*