quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Milão



Ao contrário de Düsseldorf, sabia perfeitamente onde ficava Milão e, obviamente, sei qual a relevância desta cidade para quem trabalha na moda, em geral, e no sector do calçado, em particular. Porém, a verdade é que esta cidade nunca me tinha despertado grande curiosidade, pois sempre achei que Milão fosse uma cidade importante em termos económicos mas sem grande encanto ao contrário de outras como Roma, Verona, Veneza, etc.

Gostava poder dizer que a minha ideia estava errada mas não foi o caso. Não sei até que ponto o meu ponto de vista é objectivo, dado que passei lá poucos dias (ou noites, para ser mais correcto) mas Milão não me encantou, excepto a zona do Duomo e, claro, o mítico estádio Giuseppe Meazza.

No entanto, como qualquer grande cidade, Milão apresenta alguns pormenores curiosíssimos como, por exemplo, um aloquete presente em alguns varões das carruagens do metro. Ainda hoje, desconheço a função daquilo. Um colega meu achou que era para as pessoas prenderem as suas bicicletas mas não me parece muito plausível. Pessoalmente, achei que servisse para prender um cão mas, mesmo assim, não estou convencido. Se alguém souber, por favor, ilumine-me.

Outro aspecto que achei curioso foi a presença de máquinas distribuidoras de livros. Da mesma forma que podemos comprar um snack ou uma bebida, em Milão também podemos pôr a nossa leitura em dia. Sinceramente, não sei até que ponto estas máquinas são rentáveis mas não deixa de ser uma ideia engraçada e invulgar.


Para quando um distribuidor de calçado descartável? Afinal, não será Milão a capital mundial do calçado?

0 comentários: